Os três pilares que devem sustentar seu plano de investimento

[Originalmente postado em Setembro 2018]

Todo plano de investimento que se preze deve ser baseado em uma estratégia que tente garantir  o maior sossego financeiro possível. 

Antes de mais nada, para conseguir por em prática um plano de investimentos é necessário ter recursos financeiros e/ou conseguir ter uma taxa de poupança positiva.

Uma taxa de poupança positiva nada mais é do que um termo financeiro para o popular ditado gastar menos do que ganha. 

Gastando menos do que ganha, você acumula recursos que jamais devem ser colocados debaixo do colchão como muitos fazem, por que a inflação é o maior vilão do investidor e vai corroer o poder de compra de qualquer valor parado seja ele debaixo do colchão, na jarra de biscoito ou na sua conta corrente no banco ou corretora.

 

Antes de começar a aplicar e pensar em retorno do investimento, viver de renda, TSR e tudo mais, precisamos conhecer cada pilar do plano de independência financeira. Eles são:


Pilar 1 – Curto Prazo e Reserva de Emergência

 
Em uma país como o Brasil, onde a cada década temos várias crises e as últimas nos deixam a sensação que demoram mais para passar, não podemos nos dar ao luxo de não termos uma reserva de emergência para caso o pior acontecer e nossas fontes de renda cessarem quando mais precisamos.

Não podemos correr o risco de perder o emprego amanhã ou acontecer algum imprevisto (God forbid) e não termos como sustentar nossa família até conseguir outro emprego/fonte de renda. Em tempos de crise muitas famílias literalmente quebram pois começam a depender de cheque especial, cartão de crédito, empréstimos, etc e acabam por vender bens e até viver na rua. Não queremos que isto aconteça conosco.

O primeiro pilar é o curto prazo e a formação da reserva emergencial. Esta fase é crucial para quem está começando a investir e não possui muito capital ainda. Quem já está na fase mais avançada prestes a atingir FIRE deixa de ser tão importante assim mas sempre é bom ter liquidez da mesma forma.

A regra mais difundida entre profissionais planejadores financeiros é separar o valor equivalente a 6 meses até 1 ano do valor equivalente as despesas médias mensais e colocar em uma aplicação que possa ser resgatado de imediato ou dentro de uma semana. 

Supondo que seu custo médio mensal é 3 mil reais: Você precisaria ter de 18 a 36 mil reais seguros para usar em emergências. Quanto mais susceptível seu emprego for às crises, maior o valor recomendado para se ter em reserva.

Muitos FIREEs como o Big ERN são contra ter qualquer reserva de emergência. Mas cada um sabe qual sua situação econômica e a importância deste pilar.

Sugestão de aplicações? Poupança (em último caso; só se não conseguir algo mais rentável), Tesouro Selic que te permite aplicar desde 30 reais por mês e sacar praticamente no mesmo dia se precisar, CDBs sem prazo de carência para resgate (liquidez diária), e aquelas contas correntes em bancos menores que pagam 100% do CDI/Selic estão entre os mais recomendados.

Muitos vão “torcer no nariz” para a poupança como investimento e eu também. Como investimento a poupança é péssima, mas aqui estamos usando ela não como investimento mas como um recipiente onde deixar nosso dinheiro de emergência, como se fosse um jarro de biscoitos um pouco mais protegido.
Neste pilar você deixa de ter uma remuneração (maior) do capital em troca de liquidez imediata se necessário.

 

Pilar 2 – Médio Prazo 

Garantida a reserva de emergência é hora de começar os investimentos de médio prazo e, dependendo do seu capital, para o longo prazo conjuntamente.
No Pilar 2 estão inclusos muitos CDBs (1 a 5 anos), RDBs, Fundos de Ações e FIIs para os mais arrojados, Bons Fundos DI, fundos crédito privado ( conhecido como fundos de debêntures) e multimercados (dependendo de como estão os juros futuros e seu perfil de risco). Também algumas LCAs e LCIs, CRI/CRA, Tesouro Direto (Selic, IPCA+ até 5 anos de vencimento e prefixados dependendo do ciclo economico, etc) são opções.
Sugestões? A famosa escada de CDBs, que já falamos aqui é um exemplo claro que estratégia de investimento em renda fixa de médio prazo.
Neste pilar estamos visando investir 20 a 40% do patrimônio obtendo retornos médios pouco acima do CDI, porém dentro de um horizonte de tempo em que temos menores incertezas quanto ao rumo da economia, dos juros, da política, etc. Podemos aproveitar taxas de títulos prefixados de 3 a 5 anos caso a inflação esteja controlada e juros baixando, etc. A alocação em termos percentuais dependerá do seu horizonte de investimento, objetivos, perfil de risco e outros.

Pilar 3 – Investimentos de Longo Prazo

Quando começamos a investir no Longo Prazo temos que ter em mente que precisamos nos proteger do principal vilão do dinheiro que é a Inflação. Inflação alta não é incomum no Brasil e pode facilmente corroer todo seu rendimento e erodir seu capital, a menos que esteja investido em aplicação que garantam juros reais a você no longo prazo.

Juros reais? Sim, quando sua aplicação render 1% ao mês e você achar que está ótimo, repense pois se a inflação for maior que 1% ao mês você estará na verdade perdendo dinheiro, ou melhor, perdendo poder de compra. Juros reais são a diferença do seu rendimento menos a inflação em um período de tempo. É a geração de riqueza em si. Entenda melhor neste post

Em 2016 a inflação foi maior que o rendimento da poupança em vários meses, por isso todos os blogs e profissionais financeiros enfatizaram mais do que nunca que a poupança é um péssimo investimento, embora nem sempre tenha sido assim.
Para o longo prazo foque em aplicações com maior-risco retorno já que seus pilares 1 e 2 acobertam para o caso de algo sair errado e você precisar de dinheiro com urgência. 

Quem não quer arriscar tanto, o Tesouro IPCA+ com vencimento para mais de 10 anos pode ser uma boa dependendo do rendimento atual (prefira acima de IPCA +4,5%aa), além de fundos de renda privada (debêntures) e LCI/LCA. Isto também depende muito do horizonte de tempo até precisar do dinheiro.

Se você for um pouco mais arrojado e prefere arriscar mais e diversificar, ETFs mais amplos como PIBB11, IVVB11, BOVA11, XFIX11 e muitos outros, além de “boas” ações individuais tanto de dividendos quanto para crescimento são muito indicados para investidores de longo prazo que tenham conta aberta em corretoras. (Veja o problema de escolher “boas ações”)
Alocação? Ai depende do gosto de cada um. Geralmente para o Brasil, o recomendável é não ficar 100% em renda variável pelo maior risco país, cambial, político, etc. Então algo como 60% RV e 40% RF é algo interessante de se pensar, mas cada um precisa definir seu apetite ao risco e monitorar isto.

→Para não ficar só nas nossas sugestões, gostaria de compartilhar uma tabela super ilustrativa do analista chefe da Rico Corretora, Roberto Indech, com sugestões de investimentos em renda fixa de acordo com o perfil de risco e os três pilares que comentamos anteriormente. Clique para ampliar (Atenção: Agosto de 2018)

Esperamos que este artigo ajude quem está no início do planejamento financeiro da sua jornada FIRE. Estruturar um plano, com passo a passo e embasamento técnico é fundamental e isto deve estar documentado por escrito no seu Plano de Investimento Pessoal (PIP), veja como elaborar ele aqui.


Deixe seu comentário abaixo com perguntas, sugestões, dúvidas, etc.


Disclaimer: Todo conteúdo publicado neste site baseia-se no direito de expressão garantido nos arts. 5º, IV e 220 da Constituição Federal de 1988. Não somos profissionais de investimentos nem consultores financeiros licenciados. Este blog representa apenas opiniões e decisões pessoais, que podem não ser apropriadas para outros investidores. Por favor, use o bom senso e/ou consulte um profissional de investimento certificado antes de investir seu dinheiro. AA40 não é responsável pelos resultados de suas decisões, nem responsável pelos comentários postados pelos leitores ou pelo conteúdo de quaisquer sites vinculados. Este blog deve ser visualizado apenas para fins educacionais ou de entretenimento. Resultado passado não é garantia de resultado futuro.

20 thoughts on “Os três pilares que devem sustentar seu plano de investimento

  1. Olá AA40,

    Concordo com seu post, mas com a tabela em partes. Ele nem colocou ações (individuais) na tabela. Só pode estar de brincadeira.

    Abraços.

    1. Nem todo mundo tem estômago para elas cowboy. Ele é analista de renda fixa por isso a tabela nao tem RV e como aqui também não somos fãs de RV, achei interessante colocar a tabela dele. Mas como diz o disclaimer não é recomendação de investimento. Abcs

    1. Verdade, IGPM+ só para resgate, vou atualizar ai.
      Creio que a sua pergunta a segunda opção é LCI IPCA+5,5% certo? Se for isto mesmo eu iria com a IPCA+5.5% já que é isenta de IR e acredito que a inflação subirá muito em 5 anos. Uma LCI com 5,5% de juros reais líquidos proporcionaria uma TSR de 5,5% aa que é excelente!
      Abcs

    2. Na pergunta 100% é mais que 5,5%, portanto a escolha óbvia seria os 100% pois não rende mais do que 5,5% em cinco anos?
      Detalhe sendo que os dois são investimento CDI.

    3. Anon acho que ela se enganou pq não faz sentido a pergunta como vc percebeu. Ela deve ter querido perguntar sobre 100%cdi comparando com IPCA+5,5%aa não é mesmo?

  2. Eu tava fazendo uma simulação naquele site app rendafixa

    Se eu colocar 10mil reais na "LC 110.0% CDI Lecca Financeira" daqui 6 meses eu tenho 10mil e 272 reais.

    https://apprendafixa.com.br/app/investimentos/rendafixa/detalhes/lc_lecca-financeira_lecca-financeira_cdi_181_dias_minimo_10000?returnTo=%2F

    Fiquei pensando… é isso mesmo ?
    Poxa, nunca investi na vida… mas ao simular isso, fiquei um pouco desanimado. 6 meses de trabalho eu consigo 6mil reais. Colocar uma grana dessas(10mil) pra render só 272 reais não é pouco ?
    Depois eu posso pegar esses 10mil e 272 e aplicar de novo. Supondo que fosse no mesmo investimento. E ao final de mais 6 meses (totalizando aí 1 ano) eu teria 10 mil 522 reais. Ou seja… em 1 ano eu não consegui transformar esses 10mil nem em 1000 reais. Poxa… colocar 10mil reais pra render uma mixaria dessas ? Cadê a mágica dos juros compostos;

    É realmente isso, pessoal ?

    – Um outra dúvida… ao longo desses 6 meses, eu posso injetar mais dinheiro nesses 10mil que estão comprometidos com essa LC ou o APORTE não é feito diretamente no mesmo investimento mas sim em outro investimento ? Como se dá o chamado "APORTE" ?

    1. Anon, em 6 meses ou 1 ano com um valor baixo não há juros que faça mágica! Quando investimos para aproveitar os juros compostos estamos falando para longo prazo, acima de 10 anos no mínimo. A Selic e o CDI estão baixos no momento (~6%) então renda fixa não está tão atrativa. Único jeito de TENTAR ganhar mais é ARRISCAR na renda variável no curto prazo ou INVESTIR em RV no longo prazo.

      Os aportes podem ser feitos no mesmo investimento ou investimentos diferentes. Você escolhe. Aportar apenas significa investir o dinheiro poupado, nada mais!

    2. Ainda que eu continuasse com esses 10mil investindo em "LC 110.0% CDI Lecca Financeira" durante exatos DEZ FUCKING ANOS, no final eu conseguiria em torno de 17mil reais. rsrsrs

      Foi muito tempo pra ganhar 7mil reais. Eu não sei nem se estou vivo daqui 10 anos.

      Se eu tivesse comprado ações… 10mil em Petr4 a 13 reais lá em 2017 e vendesse hoje em torno de 18 reais lucraria uns 3mil reais.
      Já ficou interessante. Mas o sobe e desce das ações pode matar alguém do coração rsrsrs

      Tem também as apostas esportivas(site como bet365), Barcelona pagando @1,30 no próximo jogo do campeonato espanhol, se eu colocasse esses 10mil no Barcelona, conseguiria os 13mil reais das ações em um único fim de semana. Mas se Messi não estivesse inspirado e o Barcelona empatasse, seriam 10mil reais que eu perderia de uma vez só.

      rsrsrs
      Acho que o lance é trabalhar mesmo, conseguir um BOM salário. Eu tô sonhando demais…
      É muito difícil ganhar dinheiro…ainda mais num país como esse nosso.

    3. No começo o que importa é o aporte, ao longo do tempo é que a taxa vai realmente fazer a diferença, lucros compostos demoram para fazer efeito.

      Como diz o bastter, taxa não ganha de tempo.

  3. Olá AA40,

    esse é um tópico que precisamos relembrar de tempos em tempos. Hoje minha carteira está estruturada assim;

    C.P = CDB, Tesouro Selic, Poupança
    M.P = LCI, LCA, CDB IPCA
    L.P = Ações, FIIs, Reits and Stocks rsrs

    Para facilitar talvez eu inclua um ETF lá nos states. Mas isso só quando tiver uns 30k dólares.

    Abraço!

  4. AA40 gostaria da sua ajuda ou alguem que entenda e possa me auxiliar.

    Na vdd minha dúvida é quanto a fórmula de cálculo de dois títulos que tenho. Pode ser dúvida de outras pessoas tbm.

    Seguinte: possuo dois CDBs na Easynvest.

    Um pré fixado de 11,25% no valor de R$ 47.948,10

    E um pós de 7,3% + IPCA com o valor de 58.218,35

    Já li bastante e entendo o funcionamento dos principais produtos de renda fixa incluindo aí os CDBs.

    O que não sei fazer é acompanhar se o rendimento está sendo feito exatamente como deveria.

    Esses títulos rendem ( aparecem atualizações ) de terça a sábado.
    Domingo e segunda o valor fica inalterado.

    Blz, sempre acompanhei assim.. Até um tempo atrás nesses dias aumentava o valor em cerca de 45,00 ( somados os dois títulos ).
    Totalizando cerca de 990,00 ( bruto a.m. )

    Sei que existe a variação da inflação no título atrelado ao IPCA. Na greve dos caminhoneiros por exemplo onde a inflação explodiu e chegou a 1,26% naquele mês costumava render na faixa de 68,00 nesses dias.

    Fiquei alguns dias sem acompanhar e agora tem rendido cerca de 37,00 nesses dias. O que dá 814,00 ( bruto ).

    Coincidentemente o site da Easynvest mudou nesses dias. E como eu não tenho essa noção exata não sei se posso estar sendo prejudicado.

    814,00 bruto para dois títulos que rendem 11,25% e outro 7,3% + IPCA num valor de aproximadamente 106k não está muito pouco? Essa conta não está certa pra mim.

    Vale mencionar que eu consultei o IPCA e destes meses eles estão próximos, já teve mês que o IPCA foi menor ( Exemplo: Abril foi de 0,22 e agora em Julho foi de 0,30 ) e o título rendia 45,00 ao dia.. Agora do nada passa a render 37,00 ?

    Ficarei grato se puder ser ajudado nessa questão.. Abs

    1. Se alguem puder ajudar o Anon ai por favor ajude. Eu nunca acompanhei tão de perto o rendimento de qualquer título. 1x ao mes e veja lá. Diariamente nunca. Ao longo de um mês sempre o rendimento bate. As vezes os gestores fazem um pagamento fixo e no final do mês pagam o ajuste já que o IPCA é só conhecido no início do mes seguinte. Enfim, se alguem souber de mais detalhes por favor compartilhe. Abcs

  5. Essa divisão por tempo (curto, médio, longo) ajuda o investidor a formatar uma carteira de investimento de acordo com os seus objetivos.

    Abraço e bons investimentos.

  6. Até já tive renda fixa, hj tenho só poupança e renda variável, sou 8 ou 80, rs.
    Parabéns pelo post, seu blog é hj um dos melhores em se tratando de educação financeira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.